Nome original: This Star Won't Go Out 
Autores: Esther Earl, Lori Earl e Wayne Earl
Editora: INTRINSECA
Páginas: 448
Ano: 2013
Preço: 39,90 (Livrarias Curitiba)
Classificação: adadadad
Sinopse: Diagnosticada com câncer da tireoide aos doze anos, Esther Grace Earl era uma adolescente talentosa e cheia de vida. Fazendo jus ao nome, que em persa significa "estrela", ela marcou todos em seu caminho com sua generosidade, esperança e altruísmo enquanto enfrentava com graciosidade o desgaste físico e mental causado pela doença. Filha, irmã e amiga divertida, alto-astral e inspiradora, Esther faleceu em 2010, logo após completar dezesseis anos, mas não sem antes servir de inspiração para milhares de pessoas por meio de seu vlog e dos diversos grupos on-line de que fazia parte. A estrela que nunca vai se apagar é uma biografia única, que reúne trechos de diários, textos de ficção, cartas e desenhos de Esther. Fotografias e relatos da família e de amigos ajudam a contar a história dessa menina inteligente, astuta e encantadora cujos carisma e força inspiraram o aclamado autor John Green a dedicar a ela sua obra best-seller A culpa é das estrelas.

   Oi, gente! Hoje eu vim falar um pouquinho sobre esse livro super especial, cuja introdução foi feita pelo autor John Green. 
    Trata-se da história de Esther Grace Earl, uma garota diagnosticada em dezembro de 2006 com carcinoma papilar da tireoide, já com metástases no pulmão. Com o tumor nos pulmões, ela precisou usar tubos de oxigênio para auxiliar na respiração. 
    De uma leitura super fácil, as páginas copiadas do diário de Esthee, tornam tudo mais emocionante. A estrela que nunca vai se apagar foi um livro que realmente me surpreendeu, não só por eu ter comprado sem muita expectativa, mas pela história de Esther, pelo sentimento da família que, em todos os momentos, é bem claro e pela união dos amigos - mesmo que virtuais - que nossa menina estrela conquistou. 
    Recheado de páginas coloridas, decoradas e fotos do arquivo pessoal da família, o livro é composto por postagens do seu blog, seu diário, o blog dos seus pais (criado para atualizar interessados sobre o estado de saúde de Esther) e declarações de amigos, equipe médica e etc.
    Confesso que está sendo um desafio resenhar sobre este livro porque além de ser uma biografia, possui uma pesada carga emocional. Mesmo que eu soubesse desde o primeiro contato com o livro que em algum momento Esther morreria, não queria aceitar. Conforme ia virando as páginas e percebendo que estava cada vez mais perto do fim, sabia que estava cada vez mais perto também de ler que a menina carinhosamente chamada de Estrela havia falecido e isso, essa recusa da morte se dá porque o livro faz com que o leitor se sinta parte do tratamento de Esther, se sinta parte da família e membro do Catitude*. Em resumo, você se sente parte da constante luta pela vida.
    Viciada em Harry Potter e declarada nerdfighter, não sobreviveu para assistir a todos os filmes da saga. :'(
     Apesar de toda a tristeza ao redor da história, existem grandes lições a serem tiradas com base nos acontecidos, já que independente das limitações, Esther foi uma estrela a vida inteira. Tentou ao máximo viver como uma adolescente normal, frequentando aulas conforme podia, saindo com suas irmãs, lendo, assistindo filmes, fazendo vlogs (que estão ativos até hoje) e principalmente: valorizando momentos que por vezes, não damos valor. Valorizando todo e qualquer gesto de carinho por parte da família e dos amigos, conseguindo ser muito mais que amável.
*Catitude é o grupo de amigos virtuais de Esther.

    Inspiração 

    Esther era muito fã de Harry Potter e do trabalho de John Green, acabou conhecendo então seu ídolo em 2009, em uma conferência de fãs da saga. Green se encantou pela menina a partir do momento em que ela veio até ele pedir uma foto e assim começou uma grande amizade, que por sua vez, inspirou o autor a escrever a culpa é das estrelas. Por vezes, Green afirmou que ACEDE não é sobre Esther, ela foi apenas uma inspiração para continuar a escrever seu livro e não é à toa que Hazel Grace (personagem principal da obra mais famosa de Green) tem esse sobrenome, em homenagem a sua grande amiga, Esther Grace Earl. 

   

Com certeza eu gostaria de ter sido amiga dessa garota que mesmo tendo vivido apenas 16 anos, encantou diversas pessoas e deixa suas mensagens e lições de vida até hoje. Inclusive, espalha sua graça através de seus pais que após seu falecimento, fundaram a instituição This Star Won't Go Out em sua homenagem, destinada a aliviar as dificuldades financeiras resultantes das despesas com o cuidado de crianças com câncer. Ela também é usada para ajudar em "outros projetos que Esther ajudaria". 
As últimas páginas do livro acabaram com o meu coração (hahaha), fiquei realmente muito mexida com tudo o que acontece após o falecimento de Esther e recomendo muito esse livro, não só para os fãs de a culpa é das estrelas, mas para todas as pessoas que talvez precisem dar um valor maior a própria vida.
OBS: As duas fotos usadas nesse post foram feitas pelo meu primo (e melhor amigo) Maycon B. Ele também tem um blog que você pode acessar clicando aqui. :D
                            Já leu? Gostou? Não deixe de comentar.
                               Espero que tenham gostado da resenha!
                                   Beijinhos e até o próximo post! <3



2 Comentários

  1. Esse é um livro que a gente tem que se preparar psicologicamente para ler com o coração aberto, pronta para receber a alegria e a dor que ele vai nos trazer! É bom ler livros assim para que a gente não se esqueça que vida é cheia de altos e baixos e que há dor e sofrimento no mundo e isso é real, mas não nos impede de conquistar um pouco de felicidade.

    Adorei a resenha, o texto carinhoso!

    Pandora
    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  2. Exatamente isso! Apesar da tristeza do livro, existem diversas lições a serem tiradas. Obrigada pelo elogio! <3

    ResponderExcluir