Autora: Ilana Casoy
Editora: DarkSide Books
Páginas: 360
Ano: 2014
Preço: 36,90 (Saraiva)
Classificação: 
Sinopse: A primeira parte de Louco ou Cruel? aborda os serial killers sob diversos aspectos e à luz da Criminologia, do Direito, da Psiquiatria e da Psicologia, e dedica-se a dissecar este universo, analisando como tudo começa, quem são as vítimas, os aspectos gerais e psicológicos, os mitos e as crenças, o perfil do criminoso, a psicologia investigativa, a análise do local do crime e a encenação/organização da cena. Na segunda parte do livro, Casoy apresenta em detalhes 16 casos de serial killers que chocaram e marcaram o século XX, entre eles Albert Fish, Ed Gein, Ted Bundy, Andrei Chikatilo, Jeffrey Dahmer, Aileen Wuornos e o Zodíaco, cuja identidade segue desconhecida até hoje. Histórias que habitam as entranhas da humanidade e o que ela tem de pior: frieza, perversidade e falta de sensibilidade que acabam por produzir o mal em escalas inimagináveis.

  Oi, gente! Terça passada fiz resenha do livro Serial Killers: Made in Brazil (leia clicando aqui) e comentei que essa semana faria a resenha de Serial Killers: Louco ou Cruel?, que foi presente de uma pessoa muito especial (valeu, amor!) então vamos lá. 
  Esse livro mostra já na primeira parte como funciona a cabeça de um serial killer e quem são essas pessoas. Essa introdução é bastante útil e auxilia o leitor na compreensão dos 16 casos de psicopatas que aparecem na segunda parte do livro.
  Assim como em Serial Killer: Made in Brazil, cada psicopata possui seu capítulo no livro contendo suas vítimas, a reconstrução dos crimes, o que era feito com a vítima no cativeiro, a ação da polícia e o desfecho da história (se houve um).
  Um ponto interessante do livro é a abordagem do meticuloso trabalho do FBI na busca dos assassinos, torna-se legal ler sobre esse modo de justiça que inclui pena de morte, já que aqui no Brasil isso não existe. 
  Ilana escreve cada caso de forma única porém vários começam a partir da investigação da polícia, quando começaram a ligar algum crime com a possibilidade de ser obra de um serial killer.
Nós, serial killers, somos seus filhos, seus maridos, estamos em toda parte. E haverá mais de suas crianças mortas amanhã. Vocês sentirão o último suspiro deixando seus corpos. Vocês estarão olhando dentro de seus olhos. Uma pessoa nessa situação é Deus! (Theodore Robert Bundy, serial killer)
   O relato sobre os 16 serial killers escolhidos pela autora é bem perturbador. Entre esses 16 casos, estão alguns muito famosos, como Edward Theodore Gein (a inspiração de Psicose), John Wayne Gacy (o palhaço assassino) e o Zodíaco, cuja identidade ainda é um mistério. O último caso do livro nos traz a história de Zodíaco, assassino que nunca foi descoberto pela polícia. Ilana lista os principais suspeitos indicando fatos que poderiam liga-los ao caso. Isso provoca o leitor, eu mesma fiquei tentando descobrir qual deles seria o tão temido Zodíaco.
  Confesso que já estava preparada para essa leitura, pois conhecia alguns casos mas ainda assim, me pergunto como a mente humana consegue se corromper a esse ponto para o mal. Foi um livro que me chocou bastante pela crueldade e frieza das pessoas.
  Para quem tem curiosidade sobre o assunto, é uma leitura praticamente obrigatória, já que Ilana usa uma linguagem bem simples e objetiva, assim como os relatos são diretos e completos, sem nada de enrolação. Mesmo tendo ficado chocada com Made in Brazil e Louco ou Cruel?, adorei a leitura e me interessei ainda mais pelo assunto.
    Quanto a aparência, a capa não é dura e combina com o livro Made in Brazil (fofo, né?). Esse livro também acompanha um marcador exclusivo e muito bonito. 

Espero que tenham gostado, até terça que vem! ♥


Um Comentário

  1. Boa Resenha, mas tem algo me perturbando desde de que comecei a procurar resenhas e realmente ler este livro. Bom imagina que um Serial Killer pegue este livro para ler, ali ele encontra métodos de se fazer isso e como não ser pego, pois há informações de como a policia trata desses casos PASSO A PASSO, e no que aconteceu nos outros casos para que o serial fosse pego e mudar tudo. Agora fico pensando, será que esses tipos de livros não são um pouco perigosos ou mesmo induzem algumas pessoas (não todas) a fazerem o mesmo ou até pior do que os casos que neste livro se encontra. e você teve a mesma impreção?

    ResponderExcluir