Resenha: Não se apega, não - Isabela Freitas

10.11.14


Autora: Isabela Freitas
Editora: INTRINSECA
Páginas: 256
Ano: 2013
Preço: 19,90 (Livrarias Curitiba)
Classificação: adadadadad
Sinopse: Tudo começa com um ponto-final: a decisão de terminar o namoro de dois anos com Gustavo, o namorado dos sonhos de toda garota. As amigas acharam que Isabela tinha enlouquecido, porque, afinal de contas, eles formavam um casal per-fei-to! Mas por trás das aparências existia uma menina infeliz, disposta a assumir as consequências pela decisão de ficar sozinha. Estava na hora de resgatar o amor-próprio, a autoconfiança e entrar em contato com seus próprios desejos.
Parece fácil, mas atrapalhada do jeito que é, Isabela precisa primeiro lidar com o assédio de um primo gostosão, com as tentações da balada e, principalmente, entender que o príncipe encantado é artigo em falta no mercado. 

Isabela Freitas, em seu primeiro livro, narra os percalços vividos por sua personagem para encarar a vida e não se apegar ao que não presta, ainda assim, preservando seu lado romântico.

    Oi, gente! Sei que essa resenha foge do meu Book Haul, mas eu estava arrumando minha estante esses dias e encontrei esse livro, lembrei o quanto gostei quando li e resolvi falar um pouquinho sobre ele. 
    Isabela Freitas tem apenas 23 anos e um livro publicado. Mora em Juiz de Fora, é uma mulher viciada em livros, músicas, séries, sendo também louca por signos e muito intensa em romances. Até 2011 (acreditem), não tinha a menor ideia do que era um blog e contato praticamente nulo com a internet. Graças a muitos pedidos no twitter, criou então uma conta no wordpress com design bem simples mas com diversos textos de sua autoria, porém como seu livro atualmente fez muito sucesso, visto que foram cerca de 80 mil exemplares vendidos em três meses, o blog se tornou algo mais profissional e o wordpress foi abandonado. Você pode acessar o blog atual clicando aqui e o antigo, clicando aqui.
    Apesar do meu preconceito com livros de auto-ajuda, resolvi investir e "dar uma chance" a esse, pois já havia lido alguns textos da autora e acompanho algumas redes sociais dela. Não dei tanta importância assim quando comprei, fui meio compulsiva mas quando li a primeira página, fiquei apaixonada e não consegui largar até terminar.   
  Por não ser um livro tão extenso, escrito em primeira pessoa e ter me prendido muito, li quase inteiro dentro do ônibus, na volta pra casa. São diversas frases em aberturas de capítulos no etilo tweet, um design todo rosinha, super fofo. Fora que as histórias contadas pela autora são por vezes tristes, por vezes engraçadas e até mesmo me fizeram sentir raiva em algumas situações. 
    Isabela Freitas cria uma personagem com seu nome, o que torna tudo meio confuso porque ao mesmo tempo que parece estar falando de si mesma, é tudo ficção. Não foi muito fácil separar a protagonista da autora. Acredito que essa foi a intenção, gerar essa confusão ou fazer um retrato de si mesma.
    Ao decorrer das páginas, é fácil encontrar uma Isabela ingênua, frágil e sensível até demais, facilmente iludida com romances e amizades em que deposita confiança extrema, o que é contrário ao título do livro. Porém, todo esse sucesso de vendas se dá graças ao fato da autora ter escrito situações que várias meninas e mulheres já passaram (ou ainda vão passar), ou seja: é óbvio que a leitora - assim como eu - se identifique. Conforme as páginas vão passando, surgem lições de como não se apegar a coisas ruins, fazendo jus ao fato desse livro ser encontrado na estante de auto-ajuda.
O desapego não é indiferença, covardia ou desinteresse. O desapego é se libertar de tudo aquilo que te faz mal e te causa sofrimento. Desapegar é sinônimo de se libertar. Soltar as algemas. Colocar asas. Se permitir voar novamente. O desapego é a aceitação, é o desprendimento.
    Existem outros personagens, pessoas ao redor de Isabela, porém eu me apeguei muito ao Pedro, melhor amigo da Isa. Em vários momentos, desejei ter um Pedro na minha vida, já que a amizade dos dois é realmente invejável. 
    Não se apega, não é um livro impossível de não se identificar em algum momento. Com certeza você vai lembrar de alguém que já passou pela sua vida ou de alguma amiga próxima e quando terminar de ler a última página, vai sentir vontade de mudar algo na sua realidade que talvez não lhe agrade tanto.
    No vídeo a baixo, tem um trechinho da Isabela Freitas falando sobre a segunda
regra do desapego (no livro, são 20 regras) com um sotaque mineiro super fofo ahahaha
Assumo que engoli meu preconceito sobre livros de auto-ajuda e adorei essa leitura, tirei muito proveito e super recomendo para algumas amigas, principalmente se elas não andam bem consigo mesmas ou estão em um relacionamento conturbado. 
                              Leu? Gostou? Deixe sua experiência nos comentários! 
                                    Beijinhos e até a próxima resenha! :]


You Might Also Like

1 comentários

  1. Olha, estou pensando em dar uma atenção ao livro. Sua resenha ficou maravilhosa, e se o livro está vendendo horrores deve ser bom... ainda mais por estar a algumas semanas na lista dos mais vendidos da Veja. xD

    Até mais

    ResponderExcluir

Twitter

Google+

Estou Lendo